Digite abaixo o que procura:

Construa o seu próprio ateliê de costura!

Construa o seu próprio ateliê de costura!

Ter o seu próprio ateliê de costura: esse é o sonho de muitos profissionais, tanto das pessoas que concluem a faculdade de Moda, quanto das costureiras autônomas. A personalização do vestuário permite muitas linhas de atuação: confecção para eventos e festas, roupas casuais e ainda reparos e ajustes.   

Abrindo um ateliê e se dedicando com afinco, é possível obter o retorno do investimento inicial no período de até seis meses. Porém, para se destacar nesse segmento, é necessário profissionalizar o seu negócio. Se você está começando agora ou deseja entrar nesse projeto, confira nossas dicas!  

Em tempos de pandemia, é hora de se reinventar!

O mercado nunca esteve tão propício para receber os trabalhos das costureiras. Apesar da crise econômica instalada pela pandemia do Corona Vírus, o uso obrigatório de máscaras, incluindo as de panos, fez crescer a demanda pelos serviços de costuras.   

A pandemia também é um cenário de reinvenção e empreendimento, já que nesse período muitas pessoas perderam seus empregos. A confecção de máscaras, roupas e demais acessórios tem sido uma oportunidade, mas também uma segunda fonte de renda. 

Por onde começar seu novo negócio?

O que muitas pessoas não sabem é que empreender nem sempre é fácil. Quando o assunto é um ateliê de costura, é preciso pensar desde a regularização do negócio até os itens básicos de trabalho. Criamos um passo a passo para te orientar. Confira!  

1. Formalize seu négocio

Costureiras autônomas que possuem seu próprio ateliê de costura também precisam formalizar o empreendimento. Nesse caso, o micro empresário será classificado na categoria “Empreendedor Individual”, devendo assim, regular a situação do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).  

Através dessa formalidade a costureira poderá contar com menores impostos, conseguirá passar notas fiscais e ainda obter maiores facilidades em solicitar empréstimos bancários, pagar o INSS e negociar com demais empresas.  

2. Escolha bem o ambiente de trabalho

Costurar também exige inspiração! Por isso, para que o seu trabalho renda, é preciso escolher bem aonde construir o ateliê. Escolha um local calmo e limpo, que auxilie na sua produção. Além disso, o lado bom de se construir um ateliê é que o empreendedor não precisa alugar uma sala comercial. É possível construi-lo em um cômodo desocupado da sua própria casa.

3. Adquira móveis bem avaliados

Antes de divulgar os seus serviços, equipe o seu ateliê. O principal móvel é uma boa máquina de costura. Pesquise bem, consultando as ferramentas mais bem avaliadas de acordo com o que você pode pagar inicialmente. Escrivaninha, armários e prateleiras também são fundamentais para a organização do ambiente.   

4. Compre os itens essenciais para seu ateliê de costura

Depois de montar o seu espaço com os devidos equipamentos e mobiliários, é necessário comprar os materiais para a execução das peças. É importante adquirir itens básicos como:

  • Linhas;
  • Tesouras;
  • Alfinetes;
  • Tecidos;
  • Colas;
  • Fitas métricas;
  • Botões etc.

5. Tenha conforto e segurança

Esse é um trabalho que exige muito tempo em uma mesma posição. Para garantir a sua produtividade e não prejudicar a sua postura invista em uma cadeira de costura confortável. Também separe os itens perigosos, como tesoura e alfinetes, em uma caixa a parte caso tenha crianças em casa.  

6. Organize o seu ambiente e sua produção

Um ateliê organizado é sinônimo de uma costureira profissional e competente. Uma dica é setorizar os seus itens de trabalho para garantir organização e produtividade. Outra recomendação é utilizar uma agenda e um cronograma de produção, facilitando assim, o desempenho nas confecções.

BÔNUS: Cartilha do Sebrae

Você sabia que existe uma série de normas para quem deseja abrir seu próprio ateliê? Sim! A Cartilha do Sebrae faz a relação de todas essas formalidades. Acesso o site do Sebrae e saiba mais. 

Adote as etiquetas bordadas em sua confecção!

Por último, mas não menos importante: qualquer tipo de confecção profissional precisa ter etiquetas. Esse acessório serve para a identidade visual da produção, mas também para instruir sobre os cuidados com a peça.  

A etiqueta bordada, por exemplo, personaliza qualquer peça. Não atua produzindo etiquetagem? Terceirize o trabalho da Sansil! Trabalhamos com etiquetas de alta definição, patches e em tafetá! Entre em contato e solicite já um orçamento conosco.  

Comente esse post